pt-PT

Ciência do computador

Guretruck tem o seu próprio departamento dedicado ao desenvolvimento de análise formal e aprovação de processos de software no domínio da matemática e ciência da computação. Nossa equipe é formada por renomados engenheiros informáticos, físicos teóricos e matemáticos lógicos.

Os Nossos resultados sugerem que é impossível reconhecer ou verificar o software de acordo com a regulamentação da UE 561/2006. Suspeitamos que o software interno usado pelo tacógrafo de acordo com o Regulamento da UE 3821/1985 é mais problemático para verificar que o próprio regulamento 561.

Neste momento a nossa equipe está a trabalhar na construção da Máquina - G que esperamos venha a ser uma ferramenta inovadora e quebradora de análise formal de leis capazes de revolucionar a perspectiva da indústria actual.

Durante 2016 planejamos lançar a nossa primeira versão de Police Controller, criado pela Máquina G. Esta versão só será possível certificar para a Regulação 561 G-versão. É impossível certifica-la para a Regulação 3821 porque a G-versão não depende de nós, mas dos fabricantes de tacógrafos

HAL SEI QUE TU E FRANK ESTAVAM A PLANEAR ME DESLIGAR, MAS NAO POSSO PERMITIR QUE ISSO ACONTECA.

SONHAM OS TACOGRAFOS COM CAMIÕES ELECTRICOS ?

Que os programas informáticos estejam dotados de inteligência artificial, e um tema que apaixona o ser humano a décadas? Porque este este tema é tão apaixonante para o ser humano? Basicamente pela possibilidade de que um programa dotado de inteligência artificial possa converter-se num autónomo e comece a não obedecer ao seu criador: inteligência humana.

Esta possibilidade, e as suas mais dramáticas consequências, foram amplamente exploradas pelos melhores Cineastas nos melhores filmes que se conhecem de ficção científica.

Em 1968 Stanley Kubrick, no seu monumental filme “2001 Odisseia no Espaço”, descreve o computador (programa) HAL 9000. Este não tinha aparência humana mas encarregava- se de controlar toda a nave Discovery 1 na sua viagem a Júpiter. A comunicação e ordens entre o HAL 9000 e a tripulação eram por voz o que levava a largos diálogos. O problema surge quando o HAL 9000 descobre que o querem desligar, e então começa a assassinar todos os membros da tripulação.

No filme de Ridley Scott, Blade runner (1984), os Humanoides tipo Nexus 6 com aparência totalmente humana, descobrem que são maquinas e as suas memórias da juventude são simplesmente software. Descobrem que estão desenhados para viver muitos poucos anos, e não duvidam em matar o seu criador para tentar conseguir viver mais.

Finalmente no filme “Ex Machina” (Alex Garland), a empresa Bluebook cria um androide de aparência humana chamado Ava; onde a inteligência artificial se baseia em motores de busca disponíveis na Internet. O filme tem como base o teste de Turing*, no qual a inteligência humana tenta descobrir se o que está a sua frente e humano ou androide. No final de um longo dialogo e interação este acaba com Ava a fugir do seu cativeiro e a matar o seu criador e experimentador.

E SE ESTA VISÃO TÃO APOCALÍPTICA NÃO FOSSE NO FUTURO? E SE ESTA JÁ ESTIVER A OCORRER AGORA?

Temos já provas que quando os condutores são multados com dezenas de milhares de euros na estrada ou em inspeções as empresas por parte da Policia, quando se lhes tira as cartas de condução durante anos, em muitos casos, quase na maioria, a Policia não tem o controlo.

*(Alan Turing 1912-1954, criador do primeiro modelo de computação com a sua “ máquina de Turing “ )

O controlo esta nas mãos de programas informáticos de analise do R (CE) 561 e R (EU) 165/2014. Isto nos temos documentado, palavra por palavra, pelo menos num documento emitido pela Policia Austríaca, em que reconhecem que os mesmos não tem esse controle. Pelo que, se esse controlo está nas mãos de programas e não das Policias? O que aconteceria se esses programas se revelassem contra os seus criadores e se dotassem de autonomia para multar os condutores sem nenhum controlo por parte das autoridades e sem cumprir as Leis? Como o HAL 9000 mas nas estradas em 2016. E muito provável que isto já esteja a acontecer e as consequências são devastadoras para os condutores e para as Empresas de Transportes.

Em 12/03/2016 detetamos em Champigneulles (França), como dois camiões de uma empresa eram multados com 33.675 euros no total porque o programa OCTET (programa de controlo utilizado pelas autoridades Francesas) interpretava que a disponibilidade em equipe não interrompia a condição continua. Estamos convencidos que foi uma nova versão do programa OCTET programado especialmente para realizar isto, mas nenhum outro Pais da Europa o aceitava. Posteriormente temos detetado e controlado mais de 200.000 euros em multas pela mesma razão.

Finalmente em 26/04/2014 e vendo o cariz que os acontecimentos tomavam a Comissão Europeia, através da Directorade Generale Move, convocou uma reunião para analisar o caso. Nessa reunião e em frente a um restrito e seleto Auditório, o representante Francês disse que “França não tinha mudado a interpretação de condução continua” e responsabilizou essas multas a Agentes solitários.

Se isto for verdade, e não temos razões para o por em duvida, significa que o OCTET tomou o controlo do sistema. Que as multas não são aplicadas segundo a Lei nem segundo a interpretação Francesa, quem as aplica é o OCTET porque tomou controlo do sistema e começou a “matar” por sua conta. No que não temos duvidas e que o comportamento do OCTET e este, e temos amplamente documentado e disponível para as autoridades que o desejem ver. E isto pode estar a suceder, mas dissimuladamente, em todos os Países da Europa que controlam o R (CE)561/2016. Pode não, sabemos que se esta a passar em toda a Europa. Temos provas.

Mas o que não nos contaram nem ao Stanley Kubrick no #2001 Odisseia no Espaço”, nem ao Ridley Scott no “Blade Runner”, nem ao Alex Garlan no “Ex Machina” e que a inteligência artificial pode ser controlada teoricamente. Sim pode. Mediante a teoria chamada Verificação formal do software. Teoricamente seria possível controlar com esta técnica o sofware de inteligência artificial, mas matematicamente é tão complexo que por agora nem todo e possível.

Mas para o nosso caso, para o software de controlo da R(CE)561/06 e R (EU) 165/2014 (referimo-nos ao sofware que controla o funcionamento do tacógrafo) existe já um modelo matemático formal de verificação, que impede que qualquer programa ou Engenheiro “Brilhante” realize o que queira. A Comissão Europeia já sabe, e significaria uma pequena revolução tecnológica.

Agora pensem no vosso camião, que vocês batizaram de Discovery 1, e o poem rumo a uma descarga numa Fabrica em Júpiter. Esse camião esta equipado com um tacógrafo da marca Hall, e a versão desse software e o 9000. No caminho, o tacógrafo começa a falar consigo docemente dizendo que já vais a exceder o tempo de condução continua e deves parar. Você sabe que e mentira, mas? Vai obedecer ao Hall - 9000? Vai contradizer quem esta a dirigir a sua viagem a Júpiter?

E quando o Hall – 9000 lhe começar a dizer que não descarregou cartão de condutor nos últimos 30 dias e que o deveria fazer? Que vai fazer com o arquivo do condutor descarregado no dia anterior?

E quando lhe indicar que você viajou até ao futuro, até ao Km 16.777.777 com a data de 07/02/2016, 06:28.15?

E decisão da EU defender os seus cidadãos ou não contra as maquínas.

Guillermo Errezil

Físico teórico